Vai em paz Zé

0
269

Dizem que quando seus amigos morrem, morre um pouco de você.

Marco Antônio dos Santos

Escrever esta coluna na manhã de segunda-feira (8), publicada nesta terça-feira (9), foi um das coisas mais difíceis para mim. Foi enterrado no final da tarde desta segunda-feira (8), o professor José Pascoal Giovani. O rapper Emicida diz na letra da música – Canção para os Amigos Mortos – “Dizem que quando seus amigos morrem, morre um pouco de você”.
O Pascoal era amigo de infância meu e de meu irmão, Bill (Roberval). Passamos parte da infância juntos quando morávamos na rua Vicente Paschoal, e ele na rua Brandão Veras, defronte à sede do Sindicato dos Ferroviários. Nos ensinou a jogar futebol de botão, ouvir músicas americanas (discos da irmã dele, a Sandra), e a assistir programas infantis da TV Cultura.
Não esqueço quando eu e meu irmão, na festa de aniversário do Pascoal, fomos com ele naquelas missões impossíveis: acompanhá-lo na tentativa de convidar para a festa, a menina que ele gostava. Não deu certo, mas lá estávamos para dizer que a vida dá voltas. E deu. Ele teve sua alma gêmea – Fernanda Scalon. Quando eu ia visitá-lo, era bonito ver a dedicação dela, uma sobrevivente do câncer. Ele foi um baita companheirão dela nesta hora difícil. Mas ninguém imaginava que tempos depois, os papéis fossem trocados.
Para mim, chega ser inútil escrever este texto, porque o Pascoal não vai ler. Domingo (7), fui fazer reportagem na Feira Livre, e depois passaria no Hospital Samaritano para visitá-lo. Mas naquelas correrias da vida, esqueci, mas pensei, “segunda-feira (8), eu passo lá…”. A gente tem esta mania besta de deixar as coisas sempre para depois. Não deu tempo.
Eu não era dos melhores amigos do Pascoal. Este lugar fica para Eduardo Bertuolo Felizardo – o Amendoin, parceiro até a última hora, do amigo.
Fica o exemplo de marido, amigo, tio, filho, irmão, líder de escoteiro e professor de Inglês. Oremos para que Deus dê conforto para sua esposa e parentes.
Termino com uma canção da banda Ira – Vida Passageira: “Mas essa vida é passageira. Chorar eu sei que é besteira. Mas meu amigo! Não dá prá segurar..” E eu não segurei, chorei. Inté, Pascoal.

(Colaboração de Marco Antônio dos Santos, jornalista).

Publicado na edição n° 9532, dos dias 9 e 10 de abril de 2013.